Teatro no Porto

Cessem de Gil Vicente e de Garrett, as cenas todas que outrora fizeram, que eu tenho a incumbência de erguer o teatro que os portuenses esperam.

E digo os portuenses somente, por modéstia, não por incapacidade, que aquilo a que venho por missão, extravasa as fronteiras da cidade.

Assim acorram "da Ribeira até à Foz", das Antas a Matosinhos, de Gaia e outros concelhos vizinhos, os actores, o público e o dinheiro com que se compram pregos, tintas, panos e papeis. Cómicos , apareçam. Cómicos verdadeiros, que dos outros já estamos cheios.

Etiquetas: , ,

2 Comments:

Blogger MARIA said...

Também adoro teatro António.
Já alguma vez observou de perto o projecto do André Gago?
Ele fundou o " Teatro Instável" e tem representado peças de WS um pouco por todo o País e tem ainda escola aonde forma novos actores.
Eu já admirava muito o seu trabalho, fiquei mais próxima após um curso de expressão dramática que ele ministrou a um familiar meu.
Uma das histórias que mais li à minha pequena, hoje já uma senhorinha e aniversariante por acaso, foi editada por ele . Chama-se " Circo da Lua" e é uma deliciosa história de vida.
Diferencia as pessoas face a um problema entre :
- as que nada têm para fazer ...
e as
- que têm mais que fazer do que não saber o que fazer e inventam núvens e chegam à lua ...

O teatro, a música, as artes em geral, tornam o ser humano mais bonito, revelam emoções e são especialíssimos para mim.

A amizade de pessoas especiais como o António, também.

Obrigado por tudo, pela generosidade de ler-me, de ser meu amigo.

Beijinhos.

Maria

31 agosto, 2009  
Blogger antónio m p said...

Muito obrigado pelas suas palavras e pela amizade. Os seus comentários são sempre encontros.

Logo falarei sobre o conteúdo que muito me interessa, claro.

Beijinho.

01 setembro, 2009  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home