Sócrates livre


Quem faz declarações públicas, há-de esperar comentários públicos. Não serei eu a frustrar as expectativas.

Ao dizer, da prisão, que se sente “mais livre do que nunca”, José Sócrates está a filosofar em torno do conceito de liberdade, porventura inspirado em Kierkegaard, este mesmo discípulo do outro Sócrates. Com efeito, creio que foi aquele filósofo dinamarquês quem disse que “nem todos os que riem das algemas são livres”. Se não foi ele, foi outro ou nenhum porque na verdade eu apanhei a frase no filme “Doutor Jivago”, de Boris Pasternak, onde um preso que é transportado de comboio, responde com aquela frase ao polícia que o leva algemado!

Fica bem a José Sócrates, enfim, este exercício filosófico que coloca a questão de alguém "ser" livre ainda que "esteja" preso - a diferença entre ser e estar. E mais pode acrescentar, invocando agora um comentário de João Cravinho, que “o PS não está preso” mas a voar para o próximo Governo.

Fica aqui e assim a minha modesta contribuição para a confusão geral.

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger antónio m p said...

«Os piores crimes que um governante pode cometer não estão capitulados no Código Penal, podem ser cometidos sem infringir nenhum dos seus artigos: são os crimes de lesa economia nacional. Desgraçadamente, Portugal tem experimentado uma série contínua deles ao longo das últimas décadas(...). resistir.info

01 dezembro, 2014  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home