30/03/2008

Liberdades desportivas

Pelo respeito que tenho pela eurodeputada Ana Gomes foi com alguma tristeza que li um trecho da sua intervenção na Comissão de Assuntos Exteriores do Parlamento Europeu:

“Porque me interesso pelos direitos humanos na China e no Tibete, eu não apoio os apelos a um boicote dos Jogos Olímpicos em Pequim. Seria desmasiado conveniente para aqueles que contam com a indiferença do mundo para continuar a oprimir chineses e tibetanos. Em vez disso, cabe-nos a nós todos, como cidadãos do mundo, tornar estes Jogos em Pequim em verdadeiras Olimpíadas pelos Direitos Humanos. Pela liberdade no Tibete e pela liberdade na China".

Quanto a mim, este é o vício central desta campanha com origem na CIA-EUA: pretender que os Jogos Olímpicos são espaço privilegiado para a luta política. Ou pretende Ana Gomes que amanhã os jogos da Selecção Nacional portuguesa sejam invadidos por uma manifestação de professores, ou de sub-contratados, ou de desempregados, ou de indignados com a corrupção na alta-finança...

Pelo que é conhecido de Ana Gomes admito que se trate de um dos seus excessos, frutos de genuino entusiasmo, como aquele em que considerava Jorge Sampaio indigno do PS, mas fico triste por vê-la peder a razão. É o que acontece de quem se gosta. E não é só por ser aquariana...


O que nos cabe a todos , portanto, neste domínio, é respeitar o caracter universal e a liberdade desportiva dos Jogos Olímpicos.

AG co-escreve em http://causa-nossa.blogspot.com/

Sem comentários: