28/06/2008

muro da vergonha

«Os eurodeputados do PS, PCP e Bloco de Esquerda votaram contra a nova lei comunitária de repatriamento dos imigrantes ilegais, aprovada (em 18/6/2008) pelo Parlamento Europeu, com os votos favoráveis das delegações do PSD e CDS-PP.

A chamada "Directiva do Retorno", a controversa lei que "harmonizará" a nível comunitário as regras para a detenção e expulsão de imigrantes ilegais, foi hoje aprovada pelo hemiciclo de Estrasburgo com 369 votos a favor, 197 contra e 106 abstenções, e sem qualquer emenda».
Esta foi a primeira vez que o Parlamento Europeu teve poder de co-decisão numa disposição comunitária em matéria de imigração». Diz a TSF online.

E fez merda – digo eu!

A América Latina criticou em uníssono esta decisão e a Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou esta 5.ª-feira o envio de uma missão de alto nível para pedir a sua revisão, ameaçando responder na área comercial."Uma vez mais aprova-se no mundo desenvolvido uma medida repressiva contra os imigrantes ilegais, que afecta directamente muitos latino-americanos", disse o secretário-geral da OEA, o chileno José Miguel Insulza, que encabeçará a missão. "É um paradoxo que, na mesma altura em que se negoceiam acordos importantes em matéria comercial e se fala de alianças estratégicas, se adoptem de maneira unilateral medidas como a detenção prolongada (...) sem sequer discutir nem negociar o tema com os Governos latino-americanos", acrescentou.

"O vento frio da xenofobia sopra mais uma vez para os desafios da sociedade." Esta foi a reacção do Presidente brasileiro, Lula da Silva. Esta legislação também já provocou reacções negativas por parte do presidente do Equador, com Rafael Correa a considerar mesmo que a nova lei é a «directiva da vergonha». Hugo Chavez, o presidente venezuelano, ameaçou não vender petróleo para os países que apliquem aquela directiva.
Adapatado de : SUSANA SALVADOR – DN online

Igreja lamenta as limitações impostas pela UE ao «direito de as pessoas lutarem pela sobrevivência» Segundo a Lusa, o Director da OCPM (Obra Católica Portuguesa de Migrações) avança que «A nova directiva vai criar “mais problemas do que soluções”. O Director da OCPM, prevê «aumento de pessoas nas prisões e desenraizamento das pessoas “a quem depois os movimentos humanistas e as associações vão dar assistência”.

Sobre a temática geral das migrações do ponto de vista histórico, publico AQUI declarações do investigador cubano Antonio Aja.

emigrantes portugueses

«Nos anos 60 houve muita emigração de portugueses. As pessoas não tinham condições de vida e emigravam. (À emigração clandestina, chamava-se "dar o salto" ).

27 de Agosto de 64 : “Prisão na Afurada de 40 indivíduos que pretendiam emigrar clandestinamente e apreensão de um barco". Ordem da Comissão de Censura: "CORTAR; não se pode dar esta notícia".


Quer dizer, os 40 indivíduos da Afurada meteram-se num barquito que era para ir por aí fora, sabe-se lá até onde, não sei que orientações é que eles teriam para governar o barco. O que queriam era sair daqui para trabalhar».

Entretanto...

Entre 2000 e 2006, o número de emigrantes portugueses para os principais destinos europeus aumentou 52,6 por cento , indica um relatório da OCDE. Cinco milhões vivem actualmente fora do país.


2007, 31 Julho:
Portuguesa à beira de ser expulsa dos EUA

Uma jovem portuguesa, que vivia ilegalmente nos Estados Unidos da América há cerca de três anos, recebeu ordem de expulsão depois duma rusga dos serviços de imigração à fábrica onde trabalhava. A jovem, de nome Sónia Alves Soares, emigrou de Alijó, em Trás-os-Montes, para os EUA aos 15 anos, estando na altura grávida de sete meses. A intenção era ir ter com o namorado, que tinha seguido viagem três meses antes, e a família deste. Sem estar informada, deixou passar os noventa dias permitidos por lei para a permanência no país. Entretanto nasceu a sua filha, Tatiana, ficando esta com nacionalidade norte-americana.

Quando Sónia foi informada de que se regressasse a Portugal não poderia voltar a reentrar nos EUA, decidiu ficar com a filha e o marido no país. E, ao fim de algum tempo, arranjou emprego numa fábrica nos arredores de New Bedford, Massachusetts, juntamente com outras dezenas de emigrantes. Até que, em Março último, os serviços de imigração descobriram que mais de metade dos funcionários da fábrica estavam ilegais. Dos cerca de quinhentos trabalhadores, quatro eram portugueses. Três deles foram já deportados. Sónia está obrigada a regressar a Portugal até ao dia 31 de Agosto.

Fonte: http://www.mundoportugues.org/content/1/908/eua-portuguesa-beira-ser-expulsa-escreve-bush/

2008, 24 de Julho - Suiça:
Portuguesa integra Câmara Consultiva dos Imigrados

A Federação das Associações Portuguesas da Suíça nomeou Maria Filomena Rodrigues como membro da nova Câmara Cantonal Con-sultiva dos Imigrados (CCCI), em representação da Comunidade Portuguesa do Cantão de Valdo.

A CCCI - que conta com 23 membros, entre representantes de várias comunidades estrangeiras, dos municípios e de organismos e associações de prevenção contra o racismo e a xenofobia - tem como objectivos trabalhar pela aplicação da Lei Cantonal valdense sobre a prevenção do racismo e a integração dos estrangeiros e estudar os meios necessários para melhorar a sua integração. (mesma fonte)

27/06/2008

depois

(foto da Leonor Carneiro)

Depois da estrada que percorro exangue
Tu não estarás, sorrindo, à minha espera.
Quando chegar, sem vida, ao fim da Terra,
verei apenas o rasto do meu sangue.

22/06/2008

Viver depois da morte

O actor ROY SCHEIDER que foi protagonista em All That Jazz, um dos filmes que mais me fascinou até hoje, colaborou na campanha eleitoral de Barack Obama para a presidencia dos EUA.

A colaboração consistia, nomeadamente, num donativo mensal de $50 (GBP25), através de cartão de crédito. Entretanto, no dia 10 de Fevereiro de 2008, o actor faleceu.
Porém... o seu cartão continuou activo o que permitiu a Obama receber ainda a contribuição habitual no dia 10 de Março. Ao que parece, o assunto foi polémico e este valor acabou por ser destinado a outra causa.

Mas o que eu queria salientar é que o homem que interpretou a forma mais positiva, entusiástica e apaixonante de conviver com a morte, representada pela figura de uma bela mulher doce e protectora, foi capaz de continuar a viver de forma exemplar, mesmo depois de desposado pela fatalidade.

«ROY SCHEIDER has died. He was 75. The actor was best known for playing police chief Martin Brody in Steven Spielberg's famous 1975 shark thriller and its sequel three years later. Scheider also received two Oscar nominations during his career - he was tipped for the best supporting actor prize for The French Connection in 1972 and the coveted best actor award for 1979's All That Jazz. The star died in Little Rock, Arkansas on Wednesday (10Feb08) after reported complications from an infection. He had been treated there for multiple myeloma, a cancer of the plasma cells, which was classified as in partial remission after he underwent a bone marrow transplant in June 2005. He is survived by his second wife, Brenda Seimer, three children and two grandchildren».
«» Notícia recolhida em contactmusic.com/news

15/06/2008

Tratado de Lisboa 2


Numa Europa onde as bandeiras já não representam os povos mas sim os governantes e as selecções de futebol, há uma honrosa excepção: a Irlanda.

08/06/2008

Tratado de Lisboa

Está agora nas mãos dos eleitores irlandeses a decisão sobre o Tratado de Lisboa de que tratei AQUI noutra oportunidade.

É demasiada a responsabilidade que recaiu sobre este povo - de certo modo, eles terão que votar por todos os cidadãos da União Europeia, já que a todos os outros foi recusado o direito ao referendo.

Divulgo e apoio adiante a iniciativa de um outro "bloguista" que se dirige ao povo irlandês com um apelo ao voto contra este abuso do poder político por parte dos dirigentes europeus: http://notolisbontreaty.blogsome.com/

07/06/2008

Colombia e as FARC


«... desfilaron imágenes de Karina, la guerrillera entregándose en Sonsón, y del sargento Paz Morales tomando rehenes (reféns) en Bogotá».

«Como expresiones del conflicto interno colombiano, un hilo común sostiene a ambos personajes. A la guerrillera se le presionó a rendirse, con la amenaza que si no se entregaba, el DAS atentaba contra su hija, a quien la inteligencia del Estado (DAS) mantiene bajo vigilancia. (segue)

Por su parte el sargento Paz Morales se vio obligado a tomar unos rehenes (reféns), para dar a conocer, entre otras cosas, una denuncia contra el Estado, quien después de usarlo para atentar contra dirigentes de la oposición, lo deshecha (deserda) y lo condena a una vejez (viuvez)desamparada.

«Tanto la tortura aplicada a la guerrillera, como los atentados perpetrados contra los opositores del régimen son apenas dos muestras de los miles de actos terroristas, que a diario y desde hace décadas comete el Estado colombiano.»

... En la década de los 80, cuando atentaron contra el gobernador Navarro, los asesinatos contra los opositores al régimen (colombiano) llegaron a ser 8 mil anuales. El genocidio político más conocido ha sido el del partido de izquierda Unión Patriótica, que ya lleva más de 5 mil víctimas investigadas, pero el resto de genocidios aun siguen en el olvido.
«En la década pasada, la maquinaria de guerra oligárquica se ensañó contra los familiares de los dirigentes revolucionarios. Fueron amenazados, secuestrados, asesinados y desaparecidos varios familiares de los dirigentes de las FARC, Alfonso Cano, Iván Márquez y Pablo Catatumbo entre otros. A Salvatore Mancuso le encargaron la sucia tarea de perseguir a los familiares del primer comandante del ELN, Nicolás Rodríguez Bautista. En 'obediencia debida', el capo paramilitar asesinó a cinco integrantes de ésta familia. Igual persecución perpetraron contra decenas de familiares de muchos líderes revolucionarios, en un exterminio que aún está por documentarse y juzgarse. El documento del Sargento Paz narra su incumplimiento a la orden de asesinar a la señora madre de Jaime Bateman, el comandante del M-19, como venganza y provocación.

La guerra fría de los EEUU sigue activa en Colombia. Todo disidente es calificado de enemigo interno y atacado por ello. Esta es la doctrina de Seguridad Nacional con la que se alimenta el terrorismo de Estado, desarrollado por el régimen colombiano.

Fonte: Insurrección y Rebelión.org (29 de Mayo de 2008)
Fonte:
http://www.redresistencia.org/

PARA ALIVIAR DESTES ASPECTOS TRISTES DA QUESTÃO, RECOMENDO O SEGUINTE TEXTO E VÍDEO ACERCA DAS FARC:
¿Las Farc en Madrid? El gobierno colombiano, enfermo de cretinismo topográfico

Alegre e a Trindade


Muito se tem falado de Manuel Alegre a propósito do comício-festa da Trindade. Mas qualquer coisa me diz que o resultado desta iniciativa passa completamente ao lado dele; passa sim pela integração dos quadros dos “Renovadores Comunistas” no Bloco de Esquerda.


Alegre continuará a ser uma voz às vezes crítica do PS, um silêncio muitas vezes cúmplice do mesmo.

Das notícias:

O deputado socialista Manuel Alegre afirmou, esta quinta-feira à noite, que «em princípio» votará em José Sócrates nas eleições legislativas de 2009, mas admitiu que o seu voto «depende daquilo que acontecer». Por exemplo, digo eu, pode José Sócrates não se candidatar...


02/06/2008

quem guarda os guardas ?


«Os Estados Unidos têm prisioneiros em “prisões flutuantes”, navios em alto mar onde mantém os acusados de terrorismo sem que se saiba quantos estão nestas condições nem onde. ...

Os EUA reconhecem ter 26 mil pessoas detidas ainda sem julgamento em prisões secretas. Mas a informação recolhida diz que o número de detidos pode atingir os 80 mil, de 2001 até hoje. A Reprieve reivindica informação sobre esses prisioneiros: quem são, onde estão e o que lhes é feito. ... »
(Público 2008-06-02)


Ao longo de cinco anos Murat Karnaz foi espancado abundantemente, objecto de simulações de afogamento, algemado de pés e mãos durante semanas, suspenso pelos pulsos durante cinco dias e cinco noites ao longo dos quais era regularmente espancado (neste caso, um médico verificava de seis em seis horas que ele podia continuar a suportar a tortura, o que inevitavelmente lembra os médicos torcionários e da PIDE), longamente privado da visão mediante a aplicação de um capuz, decerto ainda o mais que não nos foi contado e que nós não podemos imaginar.

Com tudo isto, queriam que ele confessasse pertencer à Al Qaeda. Mas essa confissão não podia ele fazê-la porque seria falsa.

... Afinal havia sido preso no Afeganistão porque ali se dirigira, parece que como muitos outros, numa espécie de turismo confessional, visando aperfeiçoar-se como crente islâmico, talvez um pouco como muitos cristãos visitam Roma e outros lugares santos do catolicismo para se sentirem reforçados na sua fé. Só que, para desgraça de Murat Karnaz, o 11 de Setembro ocorrera havia pouco, os Estados Unidos haviam declarado guerra ao «terrorismo» e pagavam a tantos dólares por cabeça quem denunciasse suspeitos de pertença à Al Qaeda.


Murat foi, pois, denunciado por um qualquer afegão sem escrúpulos resolvido a embolsar uns dólares que lhe fariam jeito, e é improvável que tenha sido o único a ir para Guantámano nessas circunstâncias. ...
(Correia da Fonseca – Avante 2008-05-29 )

Fonte original dos 2 recortes: http://www.guardian.co.uk/world