De Ronaldo a Medina Carreira


Com tanto debate económico já deu para perceber, mesmo sem gráficos, que o sucesso das empresas depende de factores externos (custos das matérias primas, dos equipamentos, da energia e transportes, por exemplo, além da procura) e de factores internos como a organização, os salários... e a competência dos membros da empresa.

Não se percebe senão do ponto de vista dos interesses de classe, próprios ou assimilados, porque um certo argumento de alguns fazedores de opinião, continua a resvalar em plano inclinado.

Nenhum clube profissional contrataria Medina Carreira para a sua equipa de futebol, ainda que o doutor fosse o jogador mais barato do mercado, tal como nenhuma empresa contrataria Ronaldo para seu gestor mesmo que este, digamos, por desfastio, aceitasse a função ao mais baixo preço. Isto desmonta o argumento de que a salvação das empresas está dependente da “flexibilidade” dos sindicatos para uma política de baixos salários.

A vantagem de Ronaldo sobre Medina Carreira não é ganhar pouco... , é saber jogar. Tal como a vantagem de Mourinho é saber dirigir. Tal como a vantagem dos clubes que os contratam é saber valorizar o seu trabalho. Depois é “a tal” da dialéctica: o incentivo estimula o esforço e o esforço estimula o incentivo.

Convém lembrar que os sindicatos não fazem leis, não gerem empresas, não elaboram planos de ensino e não administram a Justiça. Apenas tentam defender os cidadãos comuns dos erros e abusos dos poderes.

No mesmo sentido faz bem Medina Carreira em denunciar a incompetência política e a corrupção, em reclamar por formação profissional e responsabilidade geral... Não deixe, pois, que os preconceitos ideológicos de frágil consistência apaguem o brilho dos seus argumentos. Ao professor falta idade e experiência, apesar de tudo, para se sobrepôr à história e prática do sindicalismo, como tentou dizer-lhe Carvalho da Silva com uma delicadeza que o professor não teve para com ele.


Mas não será por isso, certamente, que eu deixarei de ouvi-lo com interesse. E ao Carvalho da Silva também. E que ambos se ouvirão, um ao outro.

Etiquetas: , , , ,

3 Comments:

Blogger São said...

Também ouvi o "Plano Inclinado" mais vivo da série.

Acho que a inclinação se acentua para a direita.

Finalmente, apareceu alguém francamente situado no outro lado e que defendeu com clareza o seu pensamento.

Boa semana

03 agosto, 2010  
Blogger O Puma said...

Gostei

Bem observado

06 agosto, 2010  
Blogger antónio m p said...

À São e ao Puma apresento as minhas desculpas pelo atraso com que publico os seus comentários que agradeço. Aconteceu que a minha casa esteve transformada em estaleiro e de relações cortadas com a internet... Nada que se compare a um incêndio, antes pelo contrário - passe a charada!

09 agosto, 2010  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home