27/06/2007

«Romance de um vagabundo»

Foto de ensaio

Ao recuperar este romance de Manuel Mendes, mais de cinquenta anos depois da sua publicação em livro, pretendo homenagear aqueles e aquelas que resistiram ou resistem às adversidades com dignidade, inteligência e fantasia até. Homenagem à arte de escrever e à arte de viver, à simplicidade formal e à superioridade moral.

4 comentários:

SP disse...

Deixo, uma frase polémica...ou talvez não :)

O homem que venceu na vida é aquele que viveu bem, riu muitas vezes e amou muito". Robert Louis Stevenson, escritor, ING, 1850-1894

Beijinho
SP

António disse...

Olá, SP ! Demorei a descobrir quem és. Não te fazia por aqui. Obrigado por teres vindo e pelo comentário. Volta sempre.
Quanto ao que diz Stevenson, talvez tenha razão. "Vencer na vida" é que não me parece uma expressão feliz, mas isso sou eu que acho tudo imperfeito... E o senhor nem sequer falava português. Beijinho.
antónio

SP disse...

Este é um dos meus favoritos, com o qual concordo inteiramente. Afinal, acomodar-se, é ver a vida a passar por nós, enquanto estamos sentados no sofá, de comando em riste.

Besito!

SP

"Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no
trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho,
quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos".
Pablo Neruda, poeta, diplomata chileno, 1904-1973

antónio disse...

Neruda e José Gomes Ferreira são duas vozes, dois corações, dois feixes de nervos que a mim e outros da minha geração fizeram acreditar que não estavamos sós no sonho e na luta que nos era dado viver por força da repressão. Com eles, lutar era um acto de alegria, uma euforia. Que bom saber que ainda são compreendidos da mesma maneira - já que a vida continua.
Obrigado por me lembrares que o mais improvável, a utopia daquele tempo, valeu a pena. Apesar de tudo, eu sei!
E um beijo amigo. A.