Limpeza electrónica não é problema

O director do SIS responde a "Perguntas Frequentes" que se colocam no âmbito da segurança económica. Uma dessas questões é a seguinte:
(...) - Como posso aumentar o nível de segurança nas minhas comunicações?
- Deverá fazer uma “limpeza eletrónica” de forma periódica aos seus equipamentos e instalações. Por outro lado, recomendamos que tome particular cuidado ao teor das conversas que tem ao telemóvel/telefone.


Dando de barato a banalidade das respostas, cabe ainda perguntar qual é o problema que leva à acusação do director do Serviço de Informações de Segurança (SIS), "fotografado na companhia de mais dois funcionários deste serviço, (em Maio) quando tentavam detectar escutas no gabinete de António Figueiredo, director do Instituto dos Registos e Notariado (IRN)? Pelo menos esta será certamente a linha de defesa do director Horácio Pinto, apontado como suspeito no caso dos Vistos Gold.

Aliás, o Programa de Segurança Económica (PSE) afecto ao SIS, esclarece, textualmente:


que O roubo do know-how e de informação reservada duma organização – incluindo processos de inovação, de pesquisa e desenvolvimento, de produção, de distribuição e de promoção, planos e estratégias empresariais ou propostas em concursos – é um acto de concorrência desleal que se traduz em prejuízos significativos para as empresas e para o país.

e que "o Programa de Segurança Económica (PSE) tem como objectivo a defesa dos Interesses Económicos Portugueses face a ameaças estrangeiras.
Com efeito, o PSE pretende contribuir para o reforço da segurança das organizações nacionais, dotando-as de recursos e de conhecimentos que permitam, essencialmente de forma preventiva, identificar ameaças e defender os seus interesses. Defendendo os interesses dos agentes económicos nacionais, protege-se a economia e a segurança de Portugal. De entre as diversas ameaças que podem interferir com os Interesses Económicos Portugueses salienta-se a espionagem económica".


Além destas duas declarações, vale a pena citar ainda esta afirmação na primeira pessoa:

"Considero importante que as pessoas que trabalham nos sectores público e privado estejam conscientes dos riscos e das ameaças a que estão sujeitas e que estejam melhor preparadas para os enfrentar. É, pois, meu desejo que o Programa de Segurança Económica contribua para fortalecer os laços entre o SIS e a sociedade civil e para prevenir e diminuir os riscos decorrentes das actividades contrárias aos Interesses Nacionais.
Director do SIS
(em: http://www.pse.com.pt/)


Enfim, se há nomes que parecem metidos à força neste processo e que só vêm complicar o labirinto, eles são certamente Marques Mendes, Horácio Pinto e Miguel Macedo. Isto é: nem Marques nem Pinto nem Marques Pinto, digo, nem Miguel Macedo parecem sair molhados deste aguaceiro. Tirando estes, ainda há uma "equipa de futebol" inteira em jogo.

Etiquetas: , ,

2 Comments:

Blogger antónio m p said...

ENTRETANTO... a NOTÍCIA
«Horácio Pinto, o diretor do SIS que foi apanhado a ajudar um dos arguidos do processo dos vistos Gold, está de saída do cargo, terminado este mês a comissão de serviço, confirmou o Observador junto de uma fonte da maioria».
(Observador.pt)

16 novembro, 2014  
Blogger antónio m p said...

"Estas operações inscrevem-se no âmbito das competências do SIS e estão em conformidade com a lei", refere a documento enviado pelo SIRP à Lusa, acrescentando que "o diretor do SIS é alheio ao processo de investigação aos chamados 'vistos gold'".

Fonte: http://expresso.sapo.pt/sis-admite-limpeza-eletronica-no-instituto-de-registos-e-notariado=f898334#ixzz3JNAmsg1J4802

17 novembro, 2014  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home