10/06/2009

M & M


Nas eleições presidenciais de 2006, Manuel Alegre recolheu mais 6,4% de votos do que o candidato que apoiava o Governo… e foi o candidato da direita que venceu. Nas eleições europeias de 2009, Manuela Ferreira Leite recolheu mais 5% do que o candidato que apoiava o Governo…

“Não se enforque o desprezado nem o prezado se envaideça”. Os votos perdidos pelo PS em ambos os actos eleitorais não se destinam ao Manel nem à Manela – destinam-se a avisar o Governo que por este percurso político terão este resultado eleitoral. O que vem a dar no mesmo se o Governo não arrepia caminho. E não é pela direita que sobe – esse é o pântano em que se meteu. Se a direita ganhou com o descontentamento popular foi na base de um discurso de esquerda associado ao conceito de “voto útil”.

Como dizia um cidadão em Yorkshire a propósito do resultado desastroso dos trabalhistas e do crescimento da extrema-direita, na Inglaterra, esta direita limitou-se a recolher o voto de protesto. Mas que, cá como lá, mutantis mutandis, é perigoso governar à direita em nome da esquerda, é. Muito perigoso.

1 comentário:

jrd disse...

Principalmente porque pode induzir a direita a fazer oposiçao à esquerda, em nome dela própria.