11/07/2008

Futuro em queda

A aviação é um dos sectores visivelmente afectados pela crise económica mundial em desenvolvimento. Em alguns países fazem-se esforços políticos para resistir a ameaças de encerramento das respectivas companhias aéreas.

«Até agora já foram à falência mais de uma dúzia de companhias de aviação internacionais, só nos primeiros 6 meses de 2008, incluindo:

A Airblue (Paquistão), a City Star Airways (UK), a Frontier Airlines (EUA), a Nationwide Airlines (África do Sul), a Palestinian Airlines (Egipto), a Tavrey Airlines (Ucrânia), a Jet4you (Marrocos), a Euromanx (Ilha de Man), a Aeropostal (Venezuela) e a Silverjet (UK), entre outras».


«Os grandes silos que são hoje os edifícios dos aeroportos, dentro de cinco anos podem estar transformados em museus da arte da tecnologia».

Quem fala assim é Nicolas van der Leek, a partir de Thomas L. Friedman, no livro The World Is Flat. Recolho esta análise catastrófica de Leek, com tradução de Margarida Ferreira, em resistir.info

E eu penso no novo aeroporto de Lisboa... Isto é, nos milhões...

Se este desastre se confirmar, eu não quero estar no PS nessa altura. Se não se confirmar..., também não quero.

Sem comentários: