28/06/2008

muro da vergonha

«Os eurodeputados do PS, PCP e Bloco de Esquerda votaram contra a nova lei comunitária de repatriamento dos imigrantes ilegais, aprovada (em 18/6/2008) pelo Parlamento Europeu, com os votos favoráveis das delegações do PSD e CDS-PP.

A chamada "Directiva do Retorno", a controversa lei que "harmonizará" a nível comunitário as regras para a detenção e expulsão de imigrantes ilegais, foi hoje aprovada pelo hemiciclo de Estrasburgo com 369 votos a favor, 197 contra e 106 abstenções, e sem qualquer emenda».
Esta foi a primeira vez que o Parlamento Europeu teve poder de co-decisão numa disposição comunitária em matéria de imigração». Diz a TSF online.

E fez merda – digo eu!

A América Latina criticou em uníssono esta decisão e a Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou esta 5.ª-feira o envio de uma missão de alto nível para pedir a sua revisão, ameaçando responder na área comercial."Uma vez mais aprova-se no mundo desenvolvido uma medida repressiva contra os imigrantes ilegais, que afecta directamente muitos latino-americanos", disse o secretário-geral da OEA, o chileno José Miguel Insulza, que encabeçará a missão. "É um paradoxo que, na mesma altura em que se negoceiam acordos importantes em matéria comercial e se fala de alianças estratégicas, se adoptem de maneira unilateral medidas como a detenção prolongada (...) sem sequer discutir nem negociar o tema com os Governos latino-americanos", acrescentou.

"O vento frio da xenofobia sopra mais uma vez para os desafios da sociedade." Esta foi a reacção do Presidente brasileiro, Lula da Silva. Esta legislação também já provocou reacções negativas por parte do presidente do Equador, com Rafael Correa a considerar mesmo que a nova lei é a «directiva da vergonha». Hugo Chavez, o presidente venezuelano, ameaçou não vender petróleo para os países que apliquem aquela directiva.
Adapatado de : SUSANA SALVADOR – DN online

Igreja lamenta as limitações impostas pela UE ao «direito de as pessoas lutarem pela sobrevivência» Segundo a Lusa, o Director da OCPM (Obra Católica Portuguesa de Migrações) avança que «A nova directiva vai criar “mais problemas do que soluções”. O Director da OCPM, prevê «aumento de pessoas nas prisões e desenraizamento das pessoas “a quem depois os movimentos humanistas e as associações vão dar assistência”.

Sobre a temática geral das migrações do ponto de vista histórico, publico AQUI declarações do investigador cubano Antonio Aja.

Sem comentários: