16/10/2015

Refugiados

«Sonhei que a minha mãe estava viva, na Síria.
Eu acordei mas não a encontrei  aqui.»

Poderia perguntar aos ideólogos da Europa muralhada, o que fariam se o seu país, a sua cidade, a sua família estivessem a ser bombardeados. Mas não quero perturbar a sua tranquilidade.



Sem comentários: