06/02/2017

Os inimigos dos meus inimigos

Será que os inimigos dos meus inimigos estão a enganar-me, fazendo-se passar por meus amigos?

Será que eu estou a ser manipulado na justa aversão a Trump, ao ignorar a expressão eleitoral dos negros e da camada trabalhadora que o elegeu? Será que o discurso contra a política americana anterior e até contra o seu próprio partido, é apenas populista? Será que a desconstrução da estratégia belicista baseada na diabolização de Putin, é reprovável? Será que a Rússia e a Síria não são mesmo indispensáveis numa estratégia antiterrorista consequente?

O que é lamentável é que tais mensagens não tivessem encontrado em Bernie Sanders, candidato do Partido Democrata, o seu profeta - mesmo que isso lhe valesse tantos ódios do “sistema” como vale a Donald Trump… Mas se temos Trump onde podiamos ter Sanders, isso é culpa da presumida Hillary Clinton.


Por tudo isto sou levado a perguntar se não estou a deixar-me levar na onda dos meus inimigos que se fazem passar por amigos invocando Trump no que tem de odioso.

1 comentário:

antónio m p disse...

Em 3 de Dezembro de 2015 uma pesquisa da Quinnipiac University mostrou Sanders como o candidato mais elegível de ambos os partidos e mais elegível do que Hillary Clinton na disputa contra os principais nomes republicanos.